Nossa página Nosso Twitter Nosso canal

Aeroporto de Maringá terá centro regional de cargas



O Aeroporto Regional Silvio Name Junior, em Maringá (Região Noroeste do Paraná), será preparado para abrigar um centro regional de cargas, segundo o ministro-chefe da Aviação Civil, Moreira Franco. O município promete doar uma área de 720 hectares para ampliar a estrutura aeroportuária. O investimento, previsto em R$ 100 milhões, deverá partir de Parceria Público-Privada (PPP), conforme a prefeitura. 

Em visita à cidade na semana passada, Franco explicou que a intenção é que o terminal aéreo passe a atender o conceito de intermodalidade. “Um aeroporto de carga tem que estar vinculado a um conceito de intermodalidade. É importante que ao lado do aeroporto se tenha uma rodovia e de preferência uma ferrovia. Em Maringá nós já temos esse conceito em ação”, afirmou. 

Cenário
O ministro disse que existem hoje no Brasil 4 mil pistas entre aeródromos e aeroportos, mas somente 130 têm malha aérea em funcionamento. A ideia, pontuou Franco, é melhorar esse cenário tanto no atendimento aos passageiros, quanto em relação aos serviços de carga. 

Além da nova área, uma lista de melhorias também foi anunciada para o aeroporto de Maringá. Entre elas, a ampliação do terminal de passageiros, que passará de 3.300 m² para 4.280 m², e também o aumento do pátio para suportar as aeronaves cargueiras e da área contra incêndio, que não tiveram metragens informadas. A pista também deverá ser ampliada em 280 metros. 

Após a ampliação, uma das cabeceiras da pista passará a contar com o sistema de precisão ILS, categoria 1, que garante o funcionamento operacional de pousos e decolagens por instrumento mesmo sob más condições meteorológicas. 

Ainda dentro das propostas de melhorias está o aumento da faixa de pista, chamado taxiway, exclusivo para aeronaves cargueiras. O projeto aguarda agora autorização do órgão ambiental para publicar a licitação das obras. Para estes investimentos estão previstos R$ 56 milhões destinados pelo governo federal. 

Reivindicações Durante a visita, Moreira Franco também recebeu sugestões de fabricantes e distribuidores de aeronaves leves no Brasil, para fortalecer o segmento no país. Eles participaram da 17.ª Feira de Aviação EAB AirShow. Entre as propostas defendidas estão a facilitação de voo visual diurno, alinhamento de preços de combustíveis e a facilitação de financiamento para pesquisa e desenvolvimento de aeronaves leves.